SlideShow

Então pessoal, como todos sabem,
nosso Blog tem um grande público,
decidimos voltar a trabalhar com
publicidades. 
Aumente sua visibilidade anunciando
conosco, quem tiver interesse mande
mensagem para o e-mail de contato! 

email: dimaspereiravalgas@gmail.com

Pacotes mensais tem desconto!
0

A cruz do capeta da Honda Titan 150


Mais uma história do gênero demoníaco lembra o Aserejé satânico, os símbolos satânicos da Procter & Gamble e as vozes do inferno. Todas elas possuem o mesmo nível de credibilidade: ZERO.

Pra início de conversa: para quem acredita em pactos satânicos, pactos com Lúcifer, pactos com o capeta e com o capiroto, com os diabos, com Belzebu, demônios e com outras entidades semelhantes nenhum argumento racional será capaz de demovê-los dessas idéias e dos riscos de andar sobre um veículo de duas rodas que possui peças em formato de cruz. Invertida ou não.

As informações contidas na mensagem do suposto engenheiro sobre a empresa, lugares, pessoas e datas são falsas ou imprecisas. A tal universidade Goyake Kadani, por exemplo: o Google não traz nenhuma informação sobre ela a não ser referências a essa conversa fiada. Será que a universidade existe?

O autor da mensagem não se identifica, não diz onde mora nem fornece nenhuma informação capaz de possibilitar a sua localização.

Ele afirma: Ao ficar doente, procurei um hospital mas não diz onde fica esse hospital nem o nome dele. Sequer menciona a doença que o acometeu.

Desesperado e à beira da morte por que não se identificar, dizer onde se encontra para receber o carinho, o apoio e a assistência espiritual dos que, como ele, acreditam em pactos com o capiroto, acreditam em encostos e em descarregos?

Segundo o tal engenheiro, Todo o ritual foi assistido por imagens e pessoas que faziam parte daquela comunidade espírita. Até onde se sabe, comunidades espíritas não adotam rituais (supostamente) satânicos nem se comunicam com exus.

Como chefe de linha de produção, depois promovido para o setor interno, o suposto engenheiro deveria saber escrever corretamente o nome da empresa onde trabalha, a razão social dela, pois não existe nenhuma empresa denominada Honda Motors S/A. Nem no Brasil nem na China.

No Brasil, a empresa fabricante de motocicletas tem como razão social Moto Honda da Amazônia Ltda. Limitada e não Sociedade Anônima. E no Japão ela se chama Honda Motor Co., Ltd.

O festival de asnices atinge um dos seus pontos altos quando o incrível engenheiro afirma: ...tive um sonho, em que aparecia uma santa dizendo para eu procurar um centro espírita.

Uma santa recomendando um centro espírita? Que santa é essa? Ela não se identificou nem o infeliz engenheiro foi capaz de identificá-la? Já que a santa se deu ao trabalho de descer dos céus e aparecer diante do desinfeliz, por que não passar logo a mensagem para ele?

Outro destaque é a ida a um um centro espírita. Onde se localiza tal centro? Em qual cidade? No Japão? No Brasil?

De qualquer forma, numa sexta-feira, à meia noite (sexta-feira treze?:) o engenheiro foi ao centro espírita. Foi sem acreditar e, sem acreditar em nada, cortou os dedinhos.

Pelo que ele diz, os dedos mínimos foram cortados e oferecidos aos exus. Será que ele ficou sem os dedinhos?

Nada de mais, afinal de contas os dedos mínimos aparecem com valor insignificante nas tabelas de indenizações de acidentes, pois não servem para muita coisa. Enquanto um polegar pode valer até 25% do valor segurado, um dedo mínimo recebe apenas o percentual de 15%.

Mas será que foi isso o que ele quis dizer? Que cortou fora os dedos mínimos? A redação é ambígua. Talvez ele tenha apenas dado um pequeno corte para fazer o sangue jorrar.

Se foi assim, o sangue do engenheiro jorrou, foi coletado num recipiente onde já se encontravam amostras de sangue de outros animais. Perdão, de animais. Desconsidere a palavra "outros".

Não deve ter jorrado muita coisa. O dedo mínimo não possui nenhum vaso importante cujo corte venha a provocar hemorragia intensa.

Ele bebeu as amostras de sangue e pronto: o pacto foi sacramentado.

Do ponto de vista religioso, esse engenheiro, especialista em mecatrônica e em projeto de motos, adota um amplo espectro de crenças.

Ele se diz budista, faz pacto com o demônio, tem visões de uma santa, vai a centro espírita, conversa com exus (nada demais, pois Bush, o ex-presidente dos EUA, também diz se comunicar com entidades divinas) e acredita piamente nas recomendações de uma desconhecida evangélica.

E o que recomenda a evangélica senhora? Destruir alguns milhões de cruzes de matéria plástica instaladas em motocicletas espalhadas por todo o mundo. Uma empreitada difícil, sem dúvida. Se a sobrevida do adoentado engenheiro depender dela...

Em seu delírio, o autor da mensagem diz haver recebido do exu a incumbência de inserir na moto Honda Titan 150 uma peça que não tivesse serventia para nada.

Fica difícil acreditar que uma empresa do porte da Honda se desse ao luxo de gastar dinheiro com a fabricação e montagem de um componente sem serventia nenhuma. Se cada uma dessas peças custar apenas R$ 0,10 seriam 10 mil reais de prejuízo para cada 100 mil motos fabricadas. Ou 100 mil reais para cada um milhão de motos fabricadas.

E a tal cruz maligna existe? Na verdade existe uma peça em forma de "T" que recebe a denominação Clamp H 25.


0

O último exorcismo


    Exorcizamus te, omnis immundus spiritus…

    Chovia forte, uma tempestade que já durava mais de seis dias.
    Dentro de sua casa, o Sr. Augusto Bertram aguardava o esperado William Andes, atrasado a mais de uma hora e meia.

- Com essa chuva é normal o atraso, meu amo. Comentou Julius, o mordomo do grande casarão.

- Não posso esperar muito Julius, muito menos Maria, ela corre risco de vida! Falou o patrão se levantando da poltrona onde antes estava sentado.

- Fique calmo, há seis ótimas ajudantes lá em cima, tudo vai dar certo.

- Eu tenho medo que algo lhe aconteça, já fazem dois dias que não me deixam a vê-la, por que isso? Por que? Se perguntava Augusto enquanto levava as mãos a cabeça.

- Se sua irmã disse para você ficar fora disso, é melhor ficar, aguarde, logo Maria estará bem.

    Um trovão ecoou no céu. No segundo andar da casa dos Bertram, Maria da Conceição gritou de dor.
- Aaaaaaaaaah, me matem! Eu não aguento mais! Me matem! Foi o que berrou a mulher assustando todos que estavam na casa.

    No andar debaixo, Augusto chorou, nunca imaginou que iria passar por uma situação daquelas. O infeliz homem achou que tudo correria normalmente, mas a mulher reagiu de uma maneira estranha, foi preciso deixá-la de cama e com o passar dos dias, as coisas foram só piorando.

    Quase duas horas depois, patrão e mordomo ouviram as fortes batidas na porta. Julius correu atender, quando voltou disse à Augusto:

- O senhor William chegou.

    Augusto ficou de pé e encarou dois homens. Um deles ele conhecia muito bem, era Fernando Matos, mais conhecido como Dr. Matos, o médico da cidade. E o outro, um velho baixinho, que usava uma enorme capa de chuva, só podia ser William.

- Perdoe a minha vinda inesperada, Sr. Augusto, mas o Reverendo William passou em minha casa, disse que minha presença aqui seria necessária. Se explicou Matos.

    Antes que Augusto pudesse dizer algo, William abriu a boca.
- Tudo ficará bem… Matos veio apenas para ajudar. Sou o Reverendo William Andes, é um prazer. Se apresentou o velho com sua voz rouca e grave.

- O prazer é meu senhor, contratei os seus serviços, pois descobri que você é o melhor, já disse, pago o quanto for preciso, mas quero que tudo volte ao normal! Afirmou Augusto, que era um poderoso fazendeiro da cidade de Sta. Ana das Flores.

- Onde está a moça? Perguntou o padre.

- É no andar de cima, segundo quarto, eu levarei o senhor até. Augusto foi interrompido.

- Não precisa, fique aqui filho, descanse, se eu precisar de algo, Matos lhe avisa.

    Nos céus, relâmpagos e raios faziam a festa. Um vento forte atingia o antigo casarão. Os funcionários que estavam espalhados pela casa, seguiam cheios de medo, mas não mais que as ajudantes que se encontravam dentro do quarto de Maria.

    Padre William subiu as escadas lentamente, junto de seu mais novo comparsa, o médico Matos.
Enquanto subia, o doutor perguntou ao homem de Deus.

- Padre… isso vai ser perigoso?

- Sempre é meu filho, o mal é traiçoeiro, mas tenha fé e tudo ficara bem. Disse o reverendo e depois beijou seu antigo crucifixo de prata que carregava no pescoço.

    Os dois homens caminharam até a porta do quarto. William bateu e Rita atendeu, ela era a irmã de Augusto.

- Oh, padre… pode entrar… Ela está dormindo.

    Quando os dois entraram, surpreenderam-se com o clima sombrio que imperava ali. O quarto estava com pouca iluminação. Na cama, uma bela mulher com o rosto todo retalhado dormia. Era Maria, a moça estava com os braços e pernas amarrados por lençóis, o colchão já não era mais branco, as cores pareciam uma mistura de vermelho e verde. Pelo cheiro do recinto, indicavam sangue e vômito.

    Para completar a macabra cena, haviam quatro mulheres ajoelhadas em volta da cama. Elas rezavam baixo e enquanto faziam isso tremiam, pois mesmo tendo fé, estavam com medo.

- Como fizeram ela dormir? Perguntou o padre.

- Nós conseguimos lhe dar um chá muito forte, e também estamos rezando para que ela descanse um pouco a mais de quatro horas. Temos medo do que ela pode fazer acordada, temos medo que ela machuque o bebê. Explicou Rita, uma mulher corajosa e que acima de tudo amava Maria como se fosse sua irmã.

- Vocês todas podem se retirar agora, vão descansar, devem estar exaustas. Falou William.

    As mulheres que estavam no chão se levantaram, juntaram-se as outras e começaram a deixar o quarto. A última antes de sair olhou para Matos e disse:

- Tome cuidado Doutor.

    Era Amélia, uma moça linda de vinte e três anos. Ela e Matos já haviam saído algumas vezes. Os dois se divertiram muito juntos, mas devido aos empregos que tomavam muito tempo, não passaram disso.
Matos acenou com a cabeça e depois fechou a porta do quarto de Maria.

William abriu sua mala, colocou suas vestes sagradas, deixou em cima da mesa uma bíblia e uma pequena garrafa com aguá benta.

- Matos, fique sempre atrás de mim, se eu precisar de você lhe aviso.

- Tudo bem senhor.

- E que Deus esteja conosco! Falou William.

    O quarto ficou em silêncio, o padre pegou a garrafa de aguá benta e atirou um pouco em direção a cama. Com pequenas gotas da aguá sagrada, fez no ar um sinal da cruz. Isso foi o bastante para que Maria acordasse, ou melhor, para que o demônio que dominava seu corpo acordasse.

- Maldito! Por fez isso? Seu porco filho de uma puta! Berrou o monstro que possuía a inocente mulher.

- Suas palavras não me atingem, Deus está ao meu lado. Disse o padre e atirou aguá benta mais uma vez.

    O demônio gemeu de dor novamente. Carregado de raiva começou a se debater na cama. O quarto inteiro pareceu balançar. Matos foi ao chão.

- Derrubei um palhaço! Berrou o demônio enquanto ria da cara do médico.

    William pegou a bíblia e procurou pelo ritual de exorcismo, o caso era urgente, havia mais de uma vida em risco, havia um bebê em toda a estória.

    Quando o padre começou o ritual, o demônio ficou ainda mais raivoso. Com uma força surpreendente, fez a cama da mulher começar a pular. As velas que iluminavam o quarto se apagaram e a escuridão reinou no recinto.

    Matos morria de medo e rezava baixinho, pedindo proteção à Deus.

- Pivete! Não adianta rezar, Deus não vai lhe ajudar, é tarde demais! É o fim, em breve todos serão devorados! Bradava o monstro com força.

    A entidade fez novamente as velas se acenderem, quando o quarto foi iluminado novamente, William e Matos viram a mulher arrebentando os lençóis que lhe prendiam.

    O padre passou a proferir as palavras do ritual com toda sua força.

    Na cama o monstro se contorcia, arrancava seus próprios cabelos e girava seus braços como se a mulher não tivesse nenhuma articulação. Seu corpo agora parecia o de uma boneca de pano.

    O monstro tampou os ouvidos quando o ritual se aproximava do fim.

- Matos, você precisa segura-lo… ele tem que escutar!

    O médico tomou coragem e caminhou em direção ao demônio. A mulher já estava totalmente acabada, sua pela tinha um tom verde, carregado de feridas e cortes. A barriga que já tinha mais de seis meses, agora era inchada e flácida.

    O doutor não tinha ideia de qual era a situação da criança.

    Matos tentou segurar o demônio, mas o mesmo lhe mordeu e o jogou no chão novamente. O rapaz não desistiu, pulou em cima do monstro outra vez e fez uso de todas as suas forças.

- Você vai ser um dos primeiros Matos! Um dos primeiros a ser devorados! hahaha

    O coração de Matos disparava, suas forças estavam acabando.
Então o demônio lhe grudou, segurou seu corpo com força e o partiu ao meio, jogando um pedaço para cada lado do quarto.

- Olha o resultado seu padre filho da puta, tive que usar um poder desnecessário! Bravejou o monstro.

    William que já havia feito tantos exorcismos não acreditou no que seus olhos haviam acabado de contemplar. Uma entidade nunca havia usado tanta força como aquela a sua frente.

    O monstro ficou de pé na cama e partiu para cima do desprotegido padre, William era um homem de Deus, mas tinha medo, mesmo assim ele tinha medo.

    Augusto ouviu toda a confusão, ele e seus empregados estavam todos reunidos na grande sala.

- Rita, é melhor nós subirmos, vamos junto conosco Julius! Falou o dono da casa.

    Subiram e quando abriram a porta do quarto, encararam uma cena que fez Rita desmaiar e Julius quase ficar louco.

    O corpo de Maria pendia no chão, estourado. Sua barriga estava destruída. Havia tripas e órgãos para todos os lados. Padre William agonizava caído próximo da porta, com um grande ferimento no pescoço.

- É tarde demais… Ele nasceu… o Anti. As palavras se perderam, a vida foi embora do corpo do velho Reverendo William Andes.

    Um grito alto foi emitido dentro do quarto, era um grito de prazer e vitória.

    Augusto e seu mordomo olharam na direção do som e lá estava ele.

    Um pequeno diabrete, um monstrinho que parecia um pequeno homem com chifres e rabo. Pelos revestiam todo seu corpo e em vez de pés, a criatura tinha patas.

    O demônio terminava de comer uma das partes do corpo de matos.

- Eu disse que ele seria um dos primeiros. Falou o Anticristo enquanto mastigava parte do abdômen do jovem médico.

    Augusto berrou de pavor e antes que ele e Julius conseguissem abandonar o quarto a porta se fechou.

    O pequeno monstro lhes encarou e disse:

- Eu tenho tanta fome!

    Os corpos que já estavam caídos nos chão e os restantes das pessoas da grande mansão bastariam para Adrian durante aquela noite.

    Adrian, era esse o nome que Maria e Augusto haviam combinado para o filho, que a muitos anos era o grande sonho do casal.

    Naquela noite, a recém-nascida criatura começaria seu processo de desenvolvimento. Precisava se alimentar bem, pois logo teria uma importante tarefa… Dominar o mundo.

    O demônio-homem havia nascido, aquele era o começo, do fim dos tempos.

0

História do Goticismo


    Goticismo é uma subcultura, estilo e maneira de pensar. Isso parece bem pretensioso, mas é outra faceta do Goticismo. Umas das principais coisas da cultura gótica é a apreciação pela dicotomia da vida, o contraste entre a luz e o escuro, o bem e o mal, coisas das quais uma não poderia existir sem a outra, e os valores tradicionais de julgamento ligados a estes opostos não são necessariamente verdadeiros.

    Os Góticos tem uma tendência de ter um senso de humor perverso e negro, um amor à história, literatura e musica. Tentar colocar os góticos em "tipos de pessoas" seria impossível. Os interesses, estilos e suas atividades são as mais diversas possíveis. As vezes, as roupas podem ser uma dica, mas não sempre. Apenas procure por algum sinal de escuridão - este é o fator mais confiável.

     A subcultura gótica frequentemente envolve a cena musical, mas pessoas leigas os confudem com punks (pode acreditar). Muitas bandas góticas clássicas, como Siouxsie and the Banshees e Damned foram originalmente consideradas punks. A música não é a única arte dos góticos. Todos os tipos de manifestação artística por parte de góticos é sempre bem vinda e encorajada.

    Muito da cultura gótica é superficial, artificial e pretensioso, e isso não é ajudado pelo fato de muitas pessoas que se consideram "góticos de verdade" repudiam os que eles consideram "posers". Alguns dos jovens que agora se consideram "góticos" sair do Goticismo e ir para outras coisas. Outros não. Outros ainda continuarão, mas se sentindo estranhos na cultura "normal", e irão se redescobrir quando encontrarem algo que os lembre da cultura e do pensamento gótico.

    Mas também existe uma grande parte desta cultura que é rica e pensadora. Os góticos lêem coisas como Dante, Byron, e Tolstoy - não porque eles "devem" ler, mas porque eles querem ler. Também costumam assistir filmes mudos de expressionistas alemães e relatar detalhes como outras pessoas poderiam falar dos filmes de Hollywood. Os góticos normalmente tem discussões espirituosas sobre a evolução da religião e seu lugar na sociedade moderna.

    Ser gótico é, no fim, uma forma de tribalismo, uma maneira de pessoas que tem interesses parecidos se encontrarem e terem um lugar a qual pertencer. Como a maioria das tribos, os góticos sempre tentam manter fora quem não faz parte desta tribo (os muito pretensiosos e os posers). Mas também pode ser uma tribo muito boa e confortável para aqueles que se encaixam, e cheia de paciência e entusiasmo para aguentar as pessoas que tentam descobrir o que os góticos querem. Os góticos irão continuar mantendo fora os que não pertencem a seu meio, e aqueles que estão interessados em os explorar por causa do visual diferente e por terem interesses fora do padrão adotado pela sociedade mas eles também tentarão se proteger. Para alguém que não acha que eles se encaixam no padrão adotado pela sociedade, conhecer mais sobre o Goticismo pode ser muito prazeroso.

    Os góticos não são muito diferentes de qualquer outra subcultura

    Os góticos tem um visual diferente. Eles gostam de coisas que a maioria das pessoas acham questionáveis, desprezíveis ou até complicadas. Eles não se encaixam como pessoas "normais", como eles mesmos dizem. Consequentemente, várias coisas são ditas e estereótipos são criados sobre góticos, os quais na maioria são falsos.

*Não são todos satanistas;
*Não pensam que são vampiros;
*Não são perigosos ou violentos;
*Não são obcecados pela morte e por matar;
*Nem todos usam drogas;
*Nem todos os góticos do sexo masculino são gays;
*Nem todas as góticas do sexo feminino são hétero.


    Os góticos tem empregos ou vão a escola, pagam impostos, criam famílias, possuem carros e casas, e são tão produtivos quanto qualquer outra pessoa, se não forem mais.

    Todos tem tendência a algum tipo de arte, mas nem todos são músicos, pintores pretensiosos ou artistas de histórias em quadrinhos assustadoras. Alguns fazem isso, claro, mas outros costuram, fazem jóias, escrevem de novelas a resumos, cozinham, esculpem, tiram fotos, fazem jardinagem, dançam, fazem filmes, fazem jogos, ou ainda escolhe entre centenas de coisas criativas para se fazer.

    Não estão interessados em aterrorizar pessoas (na maioria do tempo), roubar seu dinheiro, corromper suas crianças, ou fazer qualquer outra coisa além de viver da maneira que escolheu.



.::....O Manifesto Gótico....::.



     Em princípio cabe-nos esclarecer que o movimento gótico não tem nada de "contracultura", pelo contrário, é um movimento que se sustenta numa plataforma de conhecimentos extremamente ampla.

    Não basta vestir uma roupa preta e se dizer gótico, é necessário entender o que significa gótico e, neste sentido, não é possível entender o gótico sem conhecimentos sobre História, Literatura, Cinema, Música, Sociologia, Música, etc.

    Os góticos não são adeptos do consumismo ingênuo, mas são pessoas sofisticadas e elegantes, possuem senso crítico e um visual totalmente produzido.

    Góticos são seres sociáveis que escolhem seus amigos pelo que eles são e não por aquilo que eles possuem; não medem as pessoas dos pés à cabeça antes de se aproximarem para fazer novas amizades.

    Os góticos não pretendem transformar a sociedade ou destruí-la com bombas, não estão satisfeitos com a ordem social estabelecida, mas querem seu espaço no contexto.

    Os góticos odeiam qualquer forma de discriminação, aceitam as diferenças individuais com naturalidade e recebem bem todos que se aproximam, independentemente de seus valores, crenças, situação econômica ou orientação sexual.

    O movimento gótico caracteriza-se como um movimento de inclusão social e não de exclusão, se você sofre problemas com seu grupo de referência, conheça uma tribo gótica e faça uma comparação. Não fique surpreso se você for muito bem recebido, afinal, você estará em contato com pessoas pluralistas, inteligentes e de mente aberta.

    Góticos não veneram satã ou cultuam o mal, mas não se engane, não é uma boa política ter inimigos góticos.

    Os góticos conhecem segredos de magia, quando você menos espera, pode acabar passado mal e sequer vai conseguir entender o porquê.

    Os góticos não acreditam na violência e detestam os ignorantes e idiotas que vivem destruindo o patrimônio público.

    As festas góticas acontecem em locais simples, góticos não precisam de luxo para sentirem-se felizes, todavia, ressalta-se que uma festa gótica é muito mais sofisticada do que qualquer outro evento, contemplando performances, desfiles de moda, exposições de arte, música ao vivo, grupos de RPG, etc.

    Os góticos não moram nos túmulos dos cemitérios ou nos porões das Igrejas da Cidade, apenas são fascinados pela arte, pela paz e pela beleza arquitetônica desses lugares.

    No dia-a-dia os góticos são como as outras pessoas, trabalham estudam e lutam por uma sociedade mais justa e condições melhores de vida.

    Você não precisa ser iniciado num ritual de magia negra, se transformar em vampiro ou beber sangue de animais para fazer amizade com os góticos.

    E você é baixo ou alto, magro ou gordo, feio ou bonito, fechado ou extrovertido, pobre ou rico, hétero ou homossexual ou se simplesmente está com o saco cheio do seu atual ciclo de amizades, permita-se conhecer o movimento gótico.

    Seja você quem for, entre os góticos você será respeitado e tratado como um ser humano de verdade e, com certeza, você vivenciará fortes emoções junto de uma galera muito louca.


0

O cemitério mal assombrado


    Em uma pequena cidade, no interior de Minas Gerais, havia um cemitério, os moradores dessa cidade diziam que esse cemitério era mal assombrado, diziam os moradores da cidade, que depois da meia noite todos que entravam lá, não conseguiam mais sair. Essa historia se espalhou, e então ninguém, mas se atreveu a entrar no cemitério depois das 12h00 da noite Pedro e João estavam visitando a cidade, eles estavam de férias, então ouviram o tal boato sobre a maldição que havia no cemitério, muito interessado na história, João e Pedro decidiram visitar o tal cemitério , para averiguar se a historia era mesmo verdadeira, então preparam tudo e foram ,chegando La João disse a Pedro: -nossa Pedro, isso aqui e mesmo assustador.
     
    Então eles esperaram dar 12h00 em ponto para entrarem ,quando deu os dois entraram, então um foi para um canto e o outro para outro, combinaram entre si, que se um deles vice alguma coisa, tinha que gritar por socorro, então Pedro estava caminhando de cabeça baixa quando avistou uma mulher de longos cabelos vermelhos, e um vestido branco, ele então a chamou, ela se aproximou dele, então ele a perguntou: - quem e você, o que faz aqui. Então ela abriu seus olhos vermelhos,olhou dentro do olho de Pedro e disse: - eu sou a morte,vim buscar você e seu amigo,chegou a sua hora. Então Pedro saiu correndo sem direção, mas estava tudo muito escuro,então ele caiu em uma cova,que estava destampada, então ele começou gritar por socorro,João ouviu os seus gritos e foi atrás de sua voz , o encontrou caído dentro da cova,então começou a debochar dele: - viu um fantasma e se assustou. 

    Então ele perdeu rapidamente a fala ,foi quando ele viu a mulher se aproximando em sua direção, então sem pensar em mais nada,ele saiu correndo em direção a saída, mas quando estava quase no final,a mulher apareceu novamente em sua frente,pegou sua cabeça e sepou no chão e disse no ouvido dele:- você não vai sair daqui ninguém pode sair,então ela o estrangulou ate ele morrer e depois ela voltou para o local onde Pedro tinha caído ,então começou a jogar terra em cima dele ,seu tombo na cova fez com ele torcesse o tornozelo,então não conseguia se mexer, ela jogou terra na cabeça dele,até cobrir o seu corpo como ele estava imóvel morreu sufocado,então os dois morreram e a maldição do cemitério prevaleceu mais uma vez.
0

Casa mal assombrada


    Eram duas e meia da manhã quando Levi, Antônio e Arnaldo andavam pelas calçadas sujas de sua cidade. Estavam vagando a mais três horas sem nada pra fazer, Levi odiava fazer isso, preferia estar em casa assistindo TV e comendo, mas sempre acompanhava os amigos porque não gostava de ficar sozinho.      Chegaram à antiga estação de trem da cidade que já desativada havia muitos anos.

    “Vamos embora daqui, eu odeio esse lugar” – pediu Levi tentando não parecer aterrorizado.

    “Deixe de ser medroso” – respondeu Arnaldo. “Vamos até a casa abandona da colina e dar uma olhada, estou precisando de uma aventura.” – completou ele com a voz excitada.

    Antônio riu e começou a andar em direção a casa, os outros dois o seguiram. Chegaram ao portão de entrada e olharam aquela imensa construção, era linda e tenebrosa ao mesmo tempo.

    Os três jamais viram alguém morando naquele lugar, o dono da propriedade a trancou a mais de cinqüenta anos e não voltou mais, nunca vendeu ou alugou. Os moradores da região até evitavam passar perto com medo, diziam que o lugar era assombrado.

    Anos atrás o filho do prefeito daquela cidade estava se casando com uma moça que morava ali. No dia do casamento, a melhor amiga da noiva a levou para a casa do prefeito dizendo que queria mostrar-lhe algo. Chegando lá elas sobem até o quarto onde o noivo dormia e o encontram na cama com outra mulher. Em um momento de desespero a noiva desce até a cozinha pega uma faca e mata o noivo e a amante. Momentos depois, ela não conteve a agonia e enfiou a faca em seu coração. Supostamente os fantasmas dos três ficaram na casa onde diz à lenda que o fantasma da noiva tortura os outros dois.

    Arnaldo foi o primeiro a entrar, pulou o portão e foi em direção a casa. Olhou para trás e viu os outros dois pulando também e continuou até chegar à porta. Levi ficou parado no meio do caminho.

     “Eu não entro ai, estou sentindo mal, alguma coisa me diz que agente deveria ir embora.” – disse o rapaz com voz tremula.

    Os outros dois não deram importância. Voltaram-se para casa e olharam pela janela. Eles se espantaram porque podiam ver muito bem o que tinha dentro da casa somente com a iluminação da lua que entrava pelas janelas. A sala de entrada era enorme e toda a mobília parecia estar lá, porem coberta com lençóis.

    “Opa, a porta da frente esta aberta.” – Disse Antônio já abrindo a porta.
    Os dois entraram, o lugar era lindo, descobriram alguns móveis e viram que estava tudo intacto, parecia que alguém estava cuidando de tudo. Antônio decidiu subir para o próximo andar e ver se achava algo interessante. Arnaldo foi ver outro cômodo. Momentos depois Arnaldo escuta Antônio descendo as escadas.

    “Vamos embora, Levi esta nos esperando lá fora.” – Gritou Arnaldo para que seu amigo pudesse escutá-lo.

    Antônio não respondeu, Arnaldo se virou para ir até a saída e deu de cara com alguém, não pode ver quem era porque a luz vinha de trás da pessoa então só via a silhueta. Uma coisa ele tinha certeza, estava vestida de noiva. Seu corpo congelou então ele riu tentando disfarçando o susto.

     “Muito boa essa Antônio, quase me mata de susto. Vamos embora, já tive muito pra uma noite, esse lugar esta me dando arrepios.” – disse Arnaldo irritado.

    Antônio continuou calado. Arnaldo ficou inquieto olhando o suposto amigo e começou a andar em sua direção, a silhueta também se movia ao seu encontro. Algo mudou na visão de Arnaldo, parecia que a silhueta puxou uma faca de lado e ele começou a ficar preocupado e parou de andar.

    “Brincadeira tem limite Antônio.” – gritou ele.

     A silhueta também parou de andar, a luz da lua iluminou seu rosto e Arnaldo gritou. A imagem o aterrorizou e ele se arrependeu de ter entrado na casa. Ali na sua frente estava o fantasma da noiva, seu rosto podre e olhos vazios não expressavam sentimento e mesmo assim ele sentiu que ela o ia matar.

    “Antônio!” – foi a única coisa que ele conseguiu gritar, pois o terror o mantinha congelado e sem ar.

    Antônio desceu as escadas rapidamente, quando viu a cena correu direto pra porta gritando. A porta estava trancada, ele a esmurrava, chutava e puxava, mas ela não abria. Levi estava bem perto, mas parecia que não via ou escutava nada. A noiva não deu muita atenção a ele e continuava a encarar Arnaldo que por sua vez correu para ajudar o amigo com a porta.

    “Você pensou que iria escapar de mim por toda eternidade querido?” – disse o fantasma se aproximando dos dois.

    A noiva agarrou Arnaldo pelo cabelo e apunhalou no coração. O rapaz ficou agonizando por um tempo enquanto Antônio fazia sua última oração.

    “Some daqui você não tem nada a ver com esse traste.” – disse a noiva enquanto abria a porta.

    “Não, por favor Antônio” – gritou Arnaldo.

    Antônio se espantou ao ver o espírito de Arnaldo sendo segurado pela noiva. Escutou um barulho do outro lado da sala e viu o fantasma de outra mulher que parecia estar sofrendo muito. Lembrou-se da lenda daquela casa e então entendeu que seu amigo era a reencarnação o noivo que de alguma maneira teria escapado da tortura eterna.

    Ele correu e levou Levi embora com ele. Contou a história a todos mais ninguém acreditou. O corpo de Arnaldo nunca foi encontrado pela policia que vasculhou toda a casa e os arredores. Antônio foi internado em um hospício alguns meses depois, dizia estar sendo assombrado pelos três fantasmas. E quanto a casa, continua lá, sozinha e sombria, talvez esperando sua visita...


0

CURTAM NOSSA PAGE

   CURTAM A NOSSA PAGE NO FACEBOOK http://www.facebook.com/pages/Necrodark/414590438624430



0

As Bruxas - Documentário Completo

             
0

O Evangelho Proibido de Judas

                        
0

The Clown (Le Queloune)

             
0

A Tenebrosa Noite de Tempestade


Era uma noite chuvosa quando um pai e sua filha voltavam do hospital onde ficaram o dia inteira na espera que a esposa e mãe estava internada. Uma grave doença desconhecida consumia sua vida e os médicos não sabiam o que fazer.


Como o hospital era longe, eles tinham que cruzar uma longa estrada escura que cortava um grande bosque. O som da chuva batendo no teto do carro , fazia um barulho relaxante e a garota começou a cochilar.


Repentinamente um grande estrondo fez-se ouvir. O trovão veio forte e um relâmpago iluminou a noite. O pai segurou firme o volante e o carro derrapou na estrada molhando até bater em um barranco.


Após verificar se sua filha não estava machucada o homem decidiu sair do carro para ver os estragos que o veículo havia sofrido. Os dois pneus dianteiros estavam furados e uma das rodas amassada.


- Parece que passamos por cima de algo grande na estada. – disse o homem.


A filha, debruçada na janela, perguntou receosa:


- Mas você pode consertar pai?


- Não – disse o homem balançando a cabeça. – Eu só tenho um estepe e vou ter que voltar a pé até a cidade para encontrar alguém que possa nos rebocar, não é longe daqui. Você pode esperar no carro até eu voltar.


- Tudo bem. – disse ela . – Mas não demore muito tempo.


O pai percebeu o medo nos olhos de sua filha e afirmou que iria o mais rápido possível.


A filha olhou pelo vidro de trás até ver o pai desaparecer , andando pela estrada no meio da noite.


Havia passado mais de uma hora e o homem ainda não tinha retornado. A garota começou a ficar preocupada, qual seria o motivo de tanta demora? Será que seu pai não havia encontrando nenhum reboque? O medo de ficar naquela estrada escura aumentava cada vez mais até que ela viu um vulto ao longe, vindo pela estrada.


Inicialmente ela ficou alegre, pois pensou que fosse seu pai, porém a alegria inicial foi virando medo quando ela pode perceber que era um homem estranho que vinha andando pela estrada. Agora, mais perto e iluminado pelos eventuais relâmpagos podia ver que se tratava de um homem alto, vestindo macacão e com uma barba em torno do rosto. Notou que algo grande estava sendo carregado em sua mão esquerda.


A garota começou a ficar nervosa e rapidamente trancou todas as portas do carro, após fazer isto e se sentir mais segura olhou para fora: o homem havia parado e olhava fixamente para ela a uma distância alguns metros.


De repente ele levantou o braço e a menina soltou um grito horripilante. Seu corpo todo tremia, as lágrimas invadiram seus olhos e apavorada viu que na mão esquerda o homem segurava a cabeça decepada de seu pai.


Seu coração batia aceleradamente e ela gritava sem parar. A expressão grotesca deu seu pai era horrível. A boca estava entreaberta com a língua de fora e os olhos estavam todos brancos.


Do lado de fora, colado em sua janela o homem olhava com raiva para ela. Seus olhos estavam injetados de sangue e seu rosto era coberto de cicatrizes. . Por um breve momento ele ficou sorrindo para ela como se fosse um louco, então lentamente ele colocou a mão no bolso e tirou algo e agitou para que ela visse.



0

SEGUNDA GUERRA MUNDIAL! [#LIVEDOTERROR]

               
0

Papo Macabro: A verdade sobre os contos de fadas!

             
0

Desafiando o Medo: A Invocação

               
0

Curtam nossa page no Facebook

0

Recolha o seu bilhete


    Sempre a correr, a Eva e a Vanessa chegaram mesmo em cima da hora à estação e ainda tinham de comprar o bilhete. Destino: a praia. Foram até às máquinas automáticas, mas não conseguiram encontrar o seu destino. " Não pode ser, tenta outra vez! ". Depois de percorrerem mais três vezes as listas com todos os destinos, acabaram por encontrá-lo! " Carrega, depressa! ". Estavam prestes a perder o comboio e os nervos estavam a aumentar. A máquina fazia coisas muito estranhas, Não obedecia! " Não me deixa marcar dois bilhetes! "
   " Bem, então compramos um de cada vez, despacha-te! ". Por fim, a Eva conseguiu comprar o seu bilhete... Agora só faltava o da Vanessa. Pela segunda vez, a rapariga procurava o seu destino. " Mas isto diz D.E.P. em todo o lado! O que é D.E.P.? Onde está o nosso destino? ". Mesmo no último momento, a   Vanessa encontrou-o e comprou o bilhete. Só faltava recolhê-lo e saíam a correr para o comboio. Mas... não podia ser! O que seria aquilo?! Uma brincadeira de mau gosto? A Vanessa recolhia o seu bilhete horrorizada pois estava manchado de sangue e dizia:" Menina Vanessa Garcia, Descanse Em Paz.
   Nunca mais voltaremos a vê-la. " Pouco depois, a Vanessa morreu de uma causa desconhecida...
0

O bloco misterioso


   Era uma vez um grupo de amigos chamados Rita, Paulo, Bruna, Rafael e Ana Filipa.
   A escola onde eles andavam era dividida em quatro blocos. Eram demasiados portanto. Como tal, não havia professores suficientes para se dar aulas nesse bloco. Como não era usado para nada, os professores começaram a ir para lá preparar as suas aulas.
  Quando o grupo de cinco amigos deu conta de que isso acontecia, ficaram com curiosidade em saber o que tão misterioso tinha aquele bloco, já que nunca tinham visto os professores saírem de lá. Eles no início apenas achavam que, por coincidência, nunca tinha acontecido. Mas, passado algum tempo, começaram a estranhar imenso. Já não podia ser coincidência. Algo se passava. A verdade é que nunca ninguém tinha visto sair de lá algum professor. E também era verdade que eles não voltavam à escola para dar aulas. Mas era impossível saber o que se passava, porque qualquer pessoa que lá entrasse, não voltava a sair. Simplesmente desapareciam sem deixar qualquer rasto...
0

Biblia do Diabo

                    
0

Demônio de Jersey/Yersi





   Bem, o Demônio de Jersey é uma…. mistureba! As supostas testemunhas que informam encontros com esta criatura, o Demônio de Jersey, afirmam que ela tem cabeça de cavalo, erguida em duas patas, com uma altura de quase dois metros, coberta de pelos, com asas parecidas com um morcego e com patas como cangurus. Old-school total! A lenda de Jersey que perpetua até hoje. Existem várias vertentes sobre sua origem. As primeiras datam ao folclore dos índios nativos. As tribos chamavam a área ao redor de Pine Barrens de “Popuessing”, que significa “lugar do dragão”. Exploradores suecos depois chamaram a região de “Drake Kill”, “drake” sendo a palavra sueca para dragão, e “kill” significando canal ou braço do mar (rio, riacho, etc.). Mas a lenda mais conhecida é de que, em 1735, uma senhora de sobrenome Leeds, que tinha 12 filhos, descobriu que estava grávida de seu 13º filho e disse: “Que este seja amaldiçoado!”. Então o bebê teria nascido com cabeça de cavalo, asas de morcego e patas de canguru, teria matado seus pais e depois fugido para a floresta de Pine Barrens. Dizem que o demônio volta periodicamente a região.

0

Dama de Vermelho



  Essa lenda mexe com o sobrenatural(ah, novidade!), fala de um jovem casal que estava muito feliz por estar podendo realizar todos os seus sonhos.Já moravam juntos há pouco tempo, tinham um pequeno filho de seis meses de idade, e tinham acabado de se mudar para um apartamento que almejavam. Uma tarde de final de semana, o casal depois de brincar com o bebê, acabou adormecendo. o bebê acordou e saiu engatinhando pela casa. Foi de engatinhando até  a sacada do apartamento, passou pelos buracos da grade de proteção e caiu do quarto andar. O casal foi acordado pelos vizinhos e ficou, obviamente, transtornado com o fato.
  Eles acabaram indo embora dali, pois não conseguiam mais viver em paz maquele aapartamento. No dia em que a mudança foi toda retirada, a pobre mãe, que havia perdido seu filho de forma tao cruel, estava sozinha. Já era noite, quando no alto de seu desepero ela falou que faria qualquer coisa para ter seu filho de volta. Ela acbou dormindo no chão da sala vazia, mas foi acordada por uma voz que falava com ela.   Assustada ela se levantou do chão e viu uma mulher vestida de vermelho. A mulher falou que poderia trazer o bebê de volta, em troca de um favor. A mãe teria que matar um criança da mesma idade do seu filho e oferece-la para a mulher de vermelho. No desespero de mãe, ela acbou fazendo isso e tendo o seu bebê de volta. A mulher de vermelho devolveu o bebê vivo para os braços da mãe. O único inconveniente e que o bebê foi devolvido no mesmo estado em que se encontrava depois de todo o tempo enterrado. O bebe se transforma em algo sobrenatural , era uma massa deformada em carne viva.
  A Dama de Vermelho possui várias lendas, essa é apenas uma delas. Em outra conta que ela é uma mulher muito bonita que seduz festeiros na quarta-feira de cinzas. Um também bastante comum diz que a Dama de Vermelho costuma aparecer nesses postos de estradas. Ela seduz os caminhoneiros e eles e seus caminhões somem do mapa. Dizem que a Dama de Vermelho é na verdade Lilith e pode ser invocada em determinados locais. Aquele que a invoca ganha o direito a uma desejo em troca de um favor, embora esses desejos nunca saem como a pessoa espera. É tipo uma “pegadinha do Malandro”. Como aconteceu com a mulher que perdeu o filho, ela teve o filho de volta mas não era bem do jeito que ela imaginava.
0

A Mulher do Velório



   Essa lenda urbana é bastante contada em faculdades por causa dos cemitérios, símbolos das histórias de terror. Reza a lenda que uma garota que era uma estudante de Psicologia , estava no final de seu curso e ficou responsável por pesquisar o comportamento das pessoas nos velórios e enterros . Primeiro , ela estudou teorias sobre este comportamento . Mas depois a estudante resolveu partir para a prática , visitando , discretamente , velórios e enterros de estranhos . O primeiro velório foi de um senhor de idade , que tinha sido um professor famoso . Esta cerimônia foi cheia de pompas e discursos . Porém , uma pessoa em especial , chamou a atenção da estudante : era uma idosa de cabelos brancos , vestida de preto , com uma mantilha negra e antiga na cabeça . A primeira vez que a estudante olhou para esta mulher , teve a impressão de que esta velhinha não tinha pernas e estava flutuando . Porém , depois a estudante olhou , novamente , para esta esquisita figura , viu as suas pernas normais e concluiu que aquilo poderia ter sido uma ilusão de ótica . O segundo velório , visitado pela estudante , foi de uma criança de classe baixa , num bairro muito popular . Esta estudante estava observando o comportamento das pessoas , quando viu , novamente , a estranha senhora do primeiro velório . Então , a acadêmica resolveu olhar para a mulher com mais cuidado .    Porém , a velhinha olhou em sua direção e a estudante teve a impressão de ter visto duas estrelas no lugar dos globos oculares desta mulher . Então , a moça pensou que isto poderia ter sido uma bobagem de sua cabeça . O terceiro velório , que graduanda visitou , foi o velório de um empresário milionário , amigo de sua família . Por ser um velório de gente importante , só entrava quem fosse conhecido . A estudante entrou , mas dentro do local , ela teve uma surpresa : a idosa esquisita estava lá também . Assim a estudante também resolveu ir ao enterro deste homem rico e aquela estranha senhora foi junto . Após o enterro , a estudante decidiu seguir aquela idosa esquisita , que ficou algum tempo andando pelo cemitério , até que parou num túmulo marrom . Então , a estudante notou que a mulher da foto do túmulo era aquela mesma velhinha estranha , e , sem querer , soltou uma exclamação : – Ave ! Assim , a idosa olhou para trás e disse :      - Ave , minha filha ! Desta maneira , a estudante falou : - Como é possível ? ! A foto da mulher enterrada neste túmulo é a cara da senhora ! Deste jeito , a velha explicou : - Bem , isto faz sentido , porque esta mulher que está aí enterrada , neste túmulo marrom , sou eu … Então , a estudante disse : – Isto não é possível … Só pode ser uma brincadeira , ou , uma alucinação minha … E por que a senhora visita tantos velórios e enterros ?! Qual é a explicação de tudo isto ?Assim , calmamente , a velhinha falou :
   - Eu nasci há algum tempo atrás … A minha vida foi indolente e sem graça… Fui filha única , não me casei , não tive filhos e não trabalhei … Eu apenas ficava vegetando em casa … Sem fazer nada por preguiça …   Quando meus pais morreram , eu vivi tranquilamente , com a pensão que eles deixaram para mim . Mas , quando eu morri , a primeira coisa que eu vi , foi o filme da minha vida inteira : um tremendo vazio … Em primeiro lugar , um anjo tentou me levar para o céu , mas eles não me aceitaram lá , porque eu não tinha feito nada de útil para a humanidade … Depois , o mesmo anjo tentou me levar para o inferno , mas o diabo não me aceitou porque eu não era má suficiente … Após isto , o anjo me levou para o purgatório , mas o guardião de lá , não me aceitou , alegando que eu não tinha feito nenhum pecado para purgar . Então , apareceu o chefe deste anjo , que falou que o melhor a fazer era dar uma missão útil para mim , como colaboradora da morte .
   Assim , a estudante indagou : - E o que uma colaboradora da morte , faz ?
   Desta maneira , a velha respondeu :
  - Uma colaboradora da morte tem uma missão parecida com a deste anjo : quando alguém morre , ela coloca o filme da vida , desta pessoa falecida , para ela ver e guia a sua alma até muitos lugares como : o céu , o purgatório e o inferno .
   Após escutar tudo isto , a estudante desmaiou . No hospital ela contou a história para os enfermeiros, disse que estava vendo o filme da sua vida diante dos seus olhos e em seguida, faleceu.
0

Fotos da page

Curtam aí a nossa page no fabebook

 http://www.facebook.com/pages/Necrodark/414590438624430








0

Municipal Waste - You're Cut Off

                 
0

Ronald McDonald


   A triste história de Ronald alimenta uma série de lendas urbanas sobre um palhaço assassino e também já   inspirou um curta metragem de terror francês.


0

Ronald McDonald



    Eu tenho que confessar que não tenho medo de palhaços, mas sempre me senti incomodado com o seu comportamento bizarro!

    Outro dia eu me deparei com um poster do Ronald McDonald em uma das lojas da rede e reparei que ele estava diferente!

    Alguma coisa tinha mudado no mascote da maior rede de fast food do planeta... espera um pouco!
"- O RONALD FEZ CHAPINHA??? É ISSO... HAHAHA!"
    Como bom sarrista que sou, fui pesquisar na internet para encontrar a diferênça no penteado do palhaço.
    Mas o que a minha pesquisa revelou foi muito mais perturbador do que uma simples escova definitiva!
ELE NÃO ESTÁ COM O CABELO DIFERENTE... ELE É OUTRA PESSOA!
    O que teria acontecido o mascote do McDonalds para ter sido substituído em segredo por um sósia?
O que o McDonalds queria esconder com essa troca secreta?
    Mas não para por aí!!!
    Outro fato perturbador foi encontrado na minha pesquisa... milhares pessoas odeiam e temem o Ronald McDonalds!
    Existem inúmeras comunidades no Orkut declarando o seu ódio ao personagem, acusando-o de ser um    Serial Killer e até mesmo pedindo a sua prisão!
    Mas o que poderia fazer uma figura onírica como um palhaço que vende hamburgueres ser tão odiado e temido?
    A verdadeira face escondida sob a maquigem? As cores vivas? A vestimenta?
    O que faz milhares de pessoas temerem uma figura que foi concebida para divertir as massas?
    Só resta... O COMPORTAMENTO!
    Foi neste momento que eu descobri: O PASSADO NEGRO DE RONALD MCDONALD!!!
    O Ronald McDonald que conhecemos em nossas infâncias nos anos 80 e 90 era uma pesoa divertida que amava crianças e os clientes da lanchonete!
    Mas depois de tantos anos proporcionando risadas... o palhaço começou a perder a graça!
    As crianças já não gostavam tanto do bom e velho Ronald. O que era pior... ele também já não gostava tanto delas!
   Como os clientes começaram perder interesse no personagem, não demorou para que perdessem o respeito com o palhaço também.
   Foi quando aconteceu a primeira agressão.
   E a primeira prisão!
   Quando Ronald retornou ao trabalho ele era uma pessoa diferente... a prisão tinha acabado com a inocência do palhaço!
   Foi nessa época que o palhaço descobriu seu vício... MULHERES!
   Mas o problema se agravou com a primeira acusação de atentado ao pudor.
   E para a prisão o nosso querido Ronald retornou.
   Mesmo assim a empresa pagou novamente sua fiança e lhe devolveu o cargo de mascote e porta-voz!
   Quando tudo parecia estar bem novamente... Ronald teve que enfrentar um processo de paternidade e um exame de DNA positivo.
   Com essa nova reviravolta, Ronald teve uma recaída e acabou retornando para o "Xadrez".
   Agora não tinha mais jeito... era o 3º strike!

   Desta vez Ronald não só teve que cumprir a sua pena completa... como também econtrou um sósia em seu lugar quando tentou retomar o velho emprego!
   Por um tempo o velho Ronald tentou se empregar... mas não existe lugar no mercado de trabalho para um palhaço ex-preso e viciado em sexo.
   Tudo que lhe restou foi morar nas ruas.
   Diz a lenda... que depois de tentar sobreviver nas ruas de Nova York, Ronald se mudou para uma floresta nos arredores de New Jersey e sobrevive como um animal carnívoro.
   Dizem que todos os anos que ele passou se alimentando somente de hamburgueres acabaram despertando um feroz predador em busca de sangue!
   Esta, provavelmente, é a última vez que Ronald foi visto! Dizem que executivos do McDonalds procuram até hoje por aquele que já foi o seu maior porta-vóz com a intenção de lhe proporcionar pelo menos uma velhice digna.


0

O dia da Meia-Noite



   Numa cidade do interior de Minas Gerais, chamada Ibiá, conta-se um "causo", que segundo os moradores não é ficção, mas sim realidade. Na década de 60, uma enfermeira, filha de criação de um grande fazendeiro, iria se casar. Linda era a senhorita, cabelos negros e longos, pele morena, corpo de violão, rosto de anjo, lábios carnudos e sensuais. (perai... isso é um "causo" ou um anúncio de massagens?) Seu noivo, um rapaz da cidade grande, segundo boatos, estaria mais interessado nas fazendas da família, do que na voluptuosa senhorita. Chegado o grande dia, tudo estava certo: Uma grande festa na fazenda, a capela já estava ornamentada e o padre se preparava tomando "alguns" cálices de vinho. os convidados chegavam aos poucos, e o comentário era que os noivos viajariam para a "Europa" em lua de mel. No grande momento, eis que entra na capela, a linda noiva, deslumbrando beleza e felicidade. Mas o noivo ao vê-la, corre e no meio da capela grita: - "Sinto Muito! Não a amo. E as fazendas do seu pai não são suficientes para comprar esse casamento." Em seguida o noivo foge e a pobre donzela, aos prantos, se tranca em seu quarto. Pela manhã, ao arrombarem a porta, deparam-se com uma cena horrorosa: A noiva, nua, só de véu e grinalda enforcara-se com lençóis. Estava pendurada no lustre do seu quarto. A data do casamento: 20 de Maio. Conta-se que até hoje, nesta mesma data, à meia noite, a linda noiva aparece, nua, cavalgando pelas ruelas da pequena Ibiá, dando gritos de horror e desespero!